Premiado 3 anos consecutivos
20/07/15

Consultórios em cidades maiores demandam aporte de R$ 200 mil


A Ortodontic Center, rede de clínicas odontológicas, continua expandindo em Minas Gerais. A empresa tem 12 unidades em funcionamento espalhadas pelo Estado e mais uma deve ser inaugurada neste mês em Araguari, município do Triângulo Mineiro. Além disso, outras quatro estão em fase de implantação em Belo Horizonte, Frutal e Uberaba (Triângulo) e Taiobeiras (região Norte). O mercado mineiro é responsável por gerar cerca de 9% do faturamento total.


Atualmente, são 164 unidades no País, 40 comercializadas e outras 124 em funcionamento. A expectativa é fechar 200 contratos até o final deste ano. A empresa, natural de Londrina, município do interior do Paraná, iniciou suas atividades em 2013 e começou a se expandir por meio do sistema de franquias em 2005.


A empresa tem dois principais modelos de investimento. O primeiro, focado em municípios menores, com até 60 mil habitantes, é a conversão, ou seja, o consultório já existe, mas o proprietário decide adotar a marca com o intuito principal de alavancar o movimento. Nesse caso, o investimento médio é de R$ 60 mil.


Para inaugurar novos consultórios em cidades maiores, o aporte necessário é estimado em R$ 200 mil. O valor inclui taxa de franquia, comunicação visual, equipamentos e uniformes, mas não engloba capital de giro e despesas com reforma. A princípio, cada unidade emprega quatro profissionais, além dos dentistas. O retorno do investimento acontece em um prazo que varia de 24 a 30 meses.


O franqueado desejado pela Ortodontic Center não é necessariamente um dentista, mas um empreendedor com disponibilidade para se dedicar integralmente ao negócio. "Ele não precisa ter formação em odontologia, mas precisa estar sempre presente na unidade, esse é o principal requisito a ser preenchido", ressalta a gerente de expansão da rede, Camila Maffei Stocco.


Ela acrescenta que a clínica foi formatada para atender principalmente pacientes da classe C. "As unidades estão preparadas para atender qualquer pessoa, mas as campanhas de divulgação estão mais voltadas a esse público", salienta a gerente. Neste ano, a empresa projeta ampliar o faturamento em 30% na comparação com o desempenho registrado em 2014.


Conforme Camila Stocco, a atual crise financeira não afeta o movimento dos consultórios, que oferecem um serviço considerado essencial. Entretanto, ela observa que novos contratos demoram um pouco mais para a ser fechados, o que demanda esforço redobrado do departamento comercial da franqueadora.


Fonte: Diário do Comércio de Minas Gerais